Flexibilidade da Quarentena

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse em entrevista à rádio Jovem Pan, que a quarentena no Estado pode ser afrouxada de forma escalonada e heterogênea a partir de junho, logo após o vencimento do atual decreto estadual de quarentena para frear a propagação do coronavírus. Não há, no entanto, uma definição exata de quando a medida começará a ser adotada, por conta do avanço da pandemia.


"Haverá um período, sim, a partir de junho em fases escalonadas, cuidadosas, zelosas e isso feito com o setor privado para a flexibilização. Mas quando possível. Neste momento, não. Nós estamos no pior momento do coronavírus no Brasil, não é em São Paulo", disse Doria na entrevista.

A retomada das atividades estão sendo planejadas por uma equipe intersecretarial, que elabora o Plano São Paulo, que deve ser adotado de forma regionalizada.

O governador disse que 26% dos 645 municípios do Estado não têm registro de casos de coronavírus e disse que as autoridades estaduais analisam, entre outros fatores, a taxa de ocupação do sistema de saúde para definir como será feita a flexibilização.


O início da retomada das atividades econômicas no estado de São Paulo pode dar certo, mas pode ter sido anunciada de forma precoce de acordo com especialista que acreditam que o contágio ainda está acontecendo em grande escala.


Atividades essenciais também foram estabelecidas no decreto. Agora são serviços indispensáveis:

  • Assistência técnica de eletrodomésticos e equipamentos de informática;

  • Preparação, gravação e transmissão de aulas pela internet ou por TV aberta, e o planejamento de atividades pedagógicas, em estabelecimentos de ensino;

  • Processamento de dados ligados a serviços essenciais;

  • Serviços de auxílio, cuidado e atenção a idosos, pessoas com deficiência e/ou

  • dificuldade de locomoção e do grupo de risco, realizados em domicílio ou em instituições destinadas a esse fim;

  • Serviços de segurança, limpeza, vigilância, portaria e zeladoria em estabelecimentos públicos e privados, condomínios, entidades associativas e similares;

  • Serviços de entrega em domicílio de qualquer mercadoria ou produto;

  • Imprensa;

  • Estabelecimentos de aviamentos e de tecidos, exclusivamente para o fornecimento dos insumos necessários à fabricação de máscaras e outros Equipamentos de Proteção Individual - EPI`s relacionados ao enfrentamento do coronavírus.

  • Restaurantes, lanchonetes e similares localizados em unidades hospitalares e de atendimento à saúde e no aeroporto ou terminal rodoviário, desde que destinados exclusivamente ao atendimento de profissionais da saúde, pacientes e acompanhantes, e passageiros, respectivamente;

  • Restaurantes, lanchonetes e similares em geral, exclusivamente como ponto de coleta e entrega em domicílio;

  • Serviços de assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

  • Atividades de preparação, gravação e transmissão de missas, cultos e demais celebrações religiosas pela internet ou por outros meios de comunicação, realizadas em igrejas, templos ou outros locais apropriados;

  • Serviços de contabilidade;

  • Serviços de suporte portuário, como operadores portuários, agentes de navegação, praticagem e despachantes aduaneiros; e

  • Transporte coletivo de passageiros, devendo observar normas complementares editadas pela autoridade que regulamenta o setor.










Algumas lojas também estão sendo abertas com algumas restrições.


Fonte das informações:

- Folha de São Paulo

- Diário de São Paulo

-Ministério da Saúde

-Governo do Estado de São Paulo

10 visualizações

Teatro Eva Wilma - Administrado por Cia Tearte

Rua: Antonio de Lucena, 146 - Tatuapé - São Paulo/SP

(11) 2090-1650  | (11)2293-8766

WhatsApp : (11)9.9008-7579 

marketing@teatroevawilma.com